FORGOT YOUR DETAILS?

História do Wushu no Distrito Federal

Distrito Federal tem uma longa tradição na prática de Artes Marciais Chinesas. E ao longo de sua própria história conseguiu contemplar os que buscavam saúde e bem-estar, filosofia de vida, competição de alto rendimento ou doutrina marcial. As primeiras atividades em solo brasiliense datam de meados dos anos 1970 com a prática de Tai Chi Chuan e continuam sendo ministradas até hoje na Praça da Harmonia Universal, localizado na quadra 105 da Asa Norte.
Paralelo a este marco, as práticas de Wushu no DF ganharam força a partir da década de 1980. Quando predominava as escolas do Shaolin do Norte ou Tradicional. Também era praticado os estilos Li Tchuó Pa, Mao Quan e Wing Tsun.
O Wushu era mais focado na essência marcial do que na atividade desportiva em si, e predominava os estilos “ortodoxo”, ou seja, passado de pai para filho ou mestre para discípulo.  À época, os campeonatos tinham como base as regras do Taekwondo para os combates de semicontato.

Primeira delegação Brasiliense

Na transição dos anos 1980 para 90 o interesse na organização cresceu e na época foi criado o 1º Departamento de Kung Fu no Defer dentro da Federação Brasiliense de Pugilismo.
Criado este departamento, foram organizados os primeiros eventos e houve a vontade de ir ao Campeonato Brasileiro, nesse momento por aqui foram organizadas as regras e organização para se adequar a competição nacional. Desde então o DF esteve presente em todos os Brasileiros. A partir deste fato, as portas se abriram, aumentaram o numero de escolas e coincide do estilo Taolu, ou Wushu Moderno.
A década de 1990 foi marcada pela profissionalização do esporte a nível de prática desportiva e começou a verdadeira organização no DF com campeonatos brasiliense, regionais e Copa Centro Oeste. Havia duas modalidades: Tradicional Shaolin do Norte e o Kou Shu.  O tradicional, ou Kati, é o Kung Fu executado por formas. No Kou Shu (boxe tradicional), as lutas tinham que ser 60% executadas pelo estilo escolhido pelo atleta (Bêbado, Louva Deus, entre outros) e o contato era com a mão fechada (soco). Como equipamentos de proteção, os atletas utilizavam proteção de cabeça com grades para proteger o rosto, caneleiras e luvas abertas (semelhante as utilizadas no MMA). Os atletas não usavam proteção de tórax.

 

Geração Olímpica

Os eventos continuaram, a partir daí o Kou Shu foi trocado por San Shou (nomenclatura utilizada à época e sinônimo para Sanda) e houve o primeiro Campeonato Brasileiro realizado no DF. E os anos 2000/10 foi a época de colhimento dos frutos das gerações anteriores com vários atletas de nível internacional e um trabalho acordado com a CBKW e a IWUF. A partir deste momento destacaram-se vários atletas de alto rendimento a nível nacional e internacional.  Destaca-se que houve também competições de Shuai Jiao (judô chinês) nos campeonatos.
Hoje, o trabalho desenvolvido no DF e Entorno é fruto do empenho de todos os professores e praticantes ao longo dessa história e é diversificado e o interessado consegue encontrar diferentes estilos/escolas onde em um mesmo local um treino mais voltado para saúde e bem-estar ou como um atleta. Os campeonatos são realizados anualmente concorrendo vaga para competir no Brasileiro.

TOP