História do Wushu no Distrito Federal

 

Distrito Federal tem uma longa tradição na prática de Artes Marciais Chinesas. E ao longo de sua própria história conseguiu contemplar os que buscavam saúde e bem-estar, filosofia de vida, competição de alto rendimento ou doutrina marcial. As primeiras atividades em solo brasiliense datam de meados dos anos 1970 com a prática de Tai Chi Chuan e continuam sendo ministradas até hoje na Praça da Harmonia Universal, localizado na quadra 105 da Asa Norte.
Paralelo a este marco, as práticas de Wushu no DF ganharam força a partir da década de 1980. Quando predominava as escolas do Shaolin do Norte ou Tradicional. Também era praticado os estilos Li Tchuó Pa, Mao Quan e Wing Tsun.
O Wushu era mais focado na essência marcial do que na atividade desportiva em si, e predominava os estilos “ortodoxo”, ou seja, passado de pai para filho ou mestre para discípulo.  À época, os campeonatos tinham como base as regras do Taekwondo para os combates de semicontato.

 

Primeira delegação Brasiliense

 

Na transição dos anos 1980 para 90 o interesse na organização cresceu e na época foi criado o 1º Departamento de Kung Fu no Defer dentro da Federação Brasiliense de Pugilismo.
Criado este departamento, foram organizados os primeiros eventos e houve a vontade de ir ao Campeonato Brasileiro, nesse momento por aqui foram organizadas as regras e organização para se adequar a competição nacional. Desde então o DF esteve presente em todos os Brasileiros. A partir deste fato, as portas se abriram, aumentaram o numero de escolas e coincide do estilo Taolu, ou Wushu Moderno.
A década de 1990 foi marcada pela profissionalização do esporte a nível de prática desportiva e começou a verdadeira organização no DF com campeonatos brasiliense, regionais e Copa Centro Oeste. Havia duas modalidades: Tradicional Shaolin do Norte e o Kou Shu.  O tradicional, ou Kati, é o Kung Fu executado por formas. No Kou Shu (boxe tradicional), as lutas tinham que ser 60% executadas pelo estilo escolhido pelo atleta (Bêbado, Louva Deus, entre outros) e o contato era com a mão fechada (soco). Como equipamentos de proteção, os atletas utilizavam proteção de cabeça com grades para proteger o rosto, caneleiras e luvas abertas (semelhante as utilizadas no MMA). Os atletas não usavam proteção de tórax.

 

Geração Olímpica

 

Os eventos continuaram, a partir daí o Kou Shu foi trocado por San Shou (nomenclatura utilizada à época e sinônimo para Sanda) e houve o primeiro Campeonato Brasileiro realizado no DF. E os anos 2000/10 foi a época de colhimento dos frutos das gerações anteriores com vários atletas de nível internacional e um trabalho acordado com a CBKW e a IWUF. A partir deste momento destacaram-se vários atletas de alto rendimento a nível nacional e internacional.  Destaca-se que houve também competições de Shuai Jiao (judô chinês) nos campeonatos.
Hoje, o trabalho desenvolvido no DF e Entorno é fruto do empenho de todos os professores e praticantes ao longo dessa história e é diversificado e o interessado consegue encontrar diferentes estilos/escolas onde em um mesmo local um treino mais voltado para saúde e bem-estar ou como um atleta. Os campeonatos são realizados anualmente concorrendo vaga para competir no Brasileiro.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support